A nova eu e o velho você

03 janeiro 2015


Tenho sido incrível no que diz respeito a te deixar pra lá. Tenho sido impecável na arte de gostar mais de mim, de cuidar de mim, de viver pra mim e de  fazer apenas aquilo que me dá prazer. Tenho sido expert em sorrir, até mesmo nos dias de chuva que me deixavam tão pra baixo. Os lamentos não fazem mais parte da nova eu, mas ainda tem um pouco a ver com o velho você.

Olha, você iria adorar a nova eu. Tomo banhos mais rápidos, a não ser quando pretendo esticar a noite por aí. Continuo cheirosa, mas o perfume de agora é um pouco mais fraco e certamente não irritaria seu nariz. Emagreci e passo creme nas pernas antes de dormir todos os dias. Aprendi a lógica de dormir com edredom e ventilador e conclui, de novo, que você tinha razão.

Parei de fumar e tenho bebido menos – com exceção daquela semana, você sabe... álcool e saudade é uma dupla infalível. Tenho praticado o auto controle que você dizia que eu não tinha e, pasme: viu há quanto tempo eu não te ligo e nem te mando um torpedo em que eu era a entorpecida? Tenho tido orgulho de mim mesma e você nem sonha.

Continuo com aquela mania chata de ver vídeos do youtube, morrer de rir e querer mostrar pra meio mundo. Também sigo lendo bastante, mas sei que você não é um leitor assíduo, então seguiria apenas colando URLs pra te importunar.

Enfim, você adoraria fazer parte da minha nova vida. Não mudei no que diz respeito a carinho, ainda arranho costas masculinas como ninguém e faço uma voz dengosa quando acordo. Ás vezes ainda é estranho ver que tenho que desligar o despertador e que ninguém vai me puxar pela cintura e formar uma conchinha irresistível mesmo quando estou atrasada. Ás vezes ainda é estranho ser tão novidade e não ter o você de sempre.

Continuo rindo com muita facilidade, mas não fico mais com a cara fechada por qualquer coisa. Tenho sido incrível, sim, mas a saudade continua aqui, gritando. Fingir surdez e desentendimento se tornou banal, mas hoje não deu. Resolvi escrever e cá estou. Espero que você goste, espero que você entenda, espero que você ressurja, de algum ponto que não sei direito que foi onde te perdi. Tenho sido incrível em te deixar pra lá, mas eu seria mais incrível ainda caso você voltasse, pro lado de cá.



2 comentários:

  1. Que delícia de texto, adorei cada palavra. Parabéns a autora.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Este comentário foi removido pelo autor.

      Excluir

Raiane Ribeiro: A nova eu e o velho você © 2011 - 2015 - Todos os Direitos reservados
Desenvolvido por: Pamella Paschoal